domingo, 29 de junho de 2008

Saúde e Temperamento

Sobre as mais desconhecidas interconexões entre constituição física, estilo de vida e terapias.

O corpo humano consiste em quatro sistemas orgânicos: sistema digestivo, sistema nervoso, sistema ósseo e muscular, assim como o coração e o sistema respiratório. Estes sistemas são de diferentes potências de acordo com cada pessoa em particular.

Um destes sistemas tende a dominar os outros, e desta maneira influenciar a constituição física.

Assim, alguém cujo sistema digestivo é particularmente bem desenvolvido, irá ter órgãos correspondentemente fortemente desenvolvidos, que irão também ocupar mais espaço do que na pessoa comum.

Esta condição excepcional de um dos sistemas orgânicos mostra-se também no temperamento da pessoa em questão: em uma pessoa fleumática, o sistema digestivo é excelente; em uma pessoa melancólica é o sistema nervoso e o cérebro; em uma pessoa colérica, ossos e músculos predominam e, em uma pessoa sangüínea, é o coração e os pulmões.

A predominância de um sistema de órgãos específico, porém, não determina o temperamento de um indivíduo. A este também pertence um componente psíquico. A compleição física e o modo de agir têm conseqüentemente alguma conexão. E assim, uma pessoa colérica possui ossos e músculos bem desenvolvidos e é ao mesmo tempo bastante ativa, esportiva e aventureira.

Os órgãos necessários para atividades físicas são excepcionalmente bem desenvolvidos nestas pessoas, auxiliam-nas a serem bem sucedidas na vida, mas são ao mesmo tempo as primeiras a correrem o risco de ficarem doentes devido a excessos.

Desta maneira, o temperamento nos permite a separar os seres humanos em quatro grandes grupos, cada um dos quais tendo uma determinada constituição física, bem como um modo de vida similar, e as quais por sua vez tendem a adoecer por razões similares, reagindo de formas semelhantes a certos tratamentos.

Uma vez que cada temperamento tem suas próprias características, é possível fazer uma distinção entre os mesmos. Porém, cada um de nós é um pouco "misturado", pois na realidade os temperamentos nunca são encontrados na sua forma "pura". Neste aspecto, as descrições a seguir tendem a ser um tanto rígidas.

O Indivíduo Sangüíneo
Pessoas com um temperamento sangüíneo possuem coração e pulmões fortes. O peito é a parte do corpo mais desenvolvido. Dão a impressão de serem sólidas, largas. Mais propícias a serem atarracadas, têm braços e pernas curtos.
A impressão geral de seu físico repete-se em diferentes partes do corpo: cabeça e mãos surgem mais amplas do que longas. As bochechas são destacadas, a pele tem uma boa coloração.
O coração e pulmões, que são apontados como facilitadores da troca do sangue e ar, são freqüentemente fortemente ativos. A pessoa sangüínea é, por efeito, móvel, vívida, aberta e sociável. Alguém que sabe como apreciar a vida, que ama comunicar-se com os outros, aprecia viajar e ocupar-se com todas as formas de atividades que estimulem o coração e a respiração.
Sua predileção por contatos sociais e prazeres da mesa podem levá-lo a comer excessivamente e beber - especialmente comidas estimulantes como carnes vermelhas, diversos tipos de frios e álcool são consumidos.
Problemas de saúde conseqüentemente mostram-se ao nível de circulação sangüínea e no trato circulatório. O sangue engrossa e não circula bem. Doenças do coração e circulatórias surgem (veias varicosas, embolia, pressão arterial alta, AVC etc) e problemas de respiração (congestão e obstrução dos pulmões e asma).

O Indivíduo Melancólico
Em pessoas de temperamento melancólico, o sistema nervoso e o cérebro são particularmente bem desenvolvidos. Uma vez que não são muito fortes ao nível de digestão, nem na área dos pulmões ou músculos, eles não são "redondos" em lugar algum. São altos e delgados. Seu corpo é frágil, os membros são delicados e suas articulações podem projetar-se. A cabeça é ampla, especialmente na região do cérebro.
A pessoa melancólica sente-se desejosa de ser reflexiva, ponderada, analítica. Isto faz com que aparente ser de certa forma um tanto reticente, sombria... melancólica. É nervosa e sensível, impressionável, mutável, facilmente aborrecível, ansiosa e estressada, mas também vívida, com mãos e pés constantemente em movimento.
Aprecia o consumo de estimulantes de natureza física (café, chá, tabaco, pratos muito temperados) ou também de espécie psíquica com os quais leva um tipo de vida sem sossego, em geral, saindo muito de casa, discutindo muito e assim por diante.
Uma vez que o individuo melancólico tem uma digestão fraca, se alimenta muito pouco, porém muitas vezes por dia e irregularmente. Tende ao uso impróprio de estimulantes. A tensão excessiva colocada em seus nervos pode gerar um número de distúrbios como conseqüência: nervosismo, ansiedade, estado de estresse, depressão, enxaqueca, insônia etc.

O Indivíduo Colérico
Pessoas coléricas têm um sistema ósseo e muscular bem desenvolvidos o que lhes dá um porte atlético. Aspectos corporais e faciais dão a impressão de serem quadrados. As sobrancelhas são retas, o olhar é penetrante.
Voz e comportamento demonstram firmeza sólida. Sua natureza quente desafiante faz com que a pessoa colérica esteja continuamente ativa e em movimento. É um grande esportista e ama gastar suas energias em atividades físicas – o que é, para ele um prazer e um desafio. Reage rapidamente e prefere os atos a pensar nos mesmos. Se algo vai muito devagar ou é impedido de alguma atividade, muito em breve fica impaciente ou irado.
Pessoas coléricas têm uma tendência a abusar de alimentos fortes como carnes, frios diversos, cereais, doces, gorduras e apreciam reativar suas energias através de estimulantes como álcool, café, tabaco etc.
Sua tendência a exaurir-se fisicamente pode causar contusões musculares, ossos quebrados, inflamações nos tendões e dificuldades com as articulações (obstruções e infecções do fígado e da vesícula).

O Indivíduo Fleumático
O destaque do trato digestivo dá à pessoa de temperamento fleumático um corpo longo e sólido. Aprecia comer, mas a sua vida tem pouco no sentido de mobilidade, ficando de um lado mais lento e não queimando muito bem o que consome.
Tende ao sobrepeso, especialmente também porque acumula facilmente gordura. Seu corpo tem aparência volumosa, gordo e fofo, os membros, contudo são mais prolongados, porém sólidos e compactos, pois os músculos são cobertos pela gordura.
O sistema linfático é igualmente fortemente desenvolvido. A riqueza linfática contribui com o volume corporal e com a absorção dos tecidos. Assim como a pessoa sangüínea recebe uma coloração avermelhada devido a um "excesso de sangue", assim o fluído linfático dá a pessoa fleumática um tom de pele pálido, esbranquiçado.
Essa pessoa é calma, pacífica e paciente, não se comprometendo prontamente com atividades físicas, prefere a vida caseira e sedentária. Indivíduos fleumáticos apreciam comer bem, sendo que a quantidade é mais importante do que a qualidade. Alimentos ricos e molhos, pudins encorpados, sopas e pratos contendo farinhas são os seus preferidos.
Essa nutrição exagerada leva, contudo, à exaustão das glândulas digestivas (atividade insuficiente do fígado e pâncreas) e as bolsas digestivas ficam expandidas (constipação: estômago, vesículas, intestino). Os problemas do sistema linfático (inflamação de glândulas, angina, celulites e outros), são outros distúrbios que freqüentemente atingem pessoas fleumáticas.

Temperamento e Elemento

Cada temperamento corresponde a um dos quatro elementos: Ar, Terra, Fogo e Água. Pessoas sangüíneas são móveis e livres como o ar; as melancólicas são reticentes e pesadas como a terra; pessoas coléricas são vívidas e ativas como o fogo, e as fleumáticas são pacíficas e calmas como a água.
Corresponder a um dos quatro elementos, contudo, não significa meramente ter suas características, mas também ter afinidades com tudo quanto se relaciona à espécie similar.

Assim, uma pessoa fleumática sente-se como parte de um córrego, lago ou mar aberto. Terapias de águas, banhos termais ou tratamentos similares têm um bom efeito sobre a mesma. Nadar é sua atividade física favorita. Aprecia tomar líquidos (sopas, caldos ralos, molhos) e reagem melhor a plantas medicinais na forma de chás de ervas, infusões, do que na forma seca - cápsulas e tabletes. De todas as formas de massagens, a drenagem linfática é a que mais ajuda.

Produtos do mar, como peixes, algas etc, são bons para ela, pois o iodo que contém estimula a glândula da tireóide e, portanto as funções metabólicas mais lentas.

As pessoas coléricas, por outro lado, são regidas pelo fogo. Não são especialmente entusiasmadas pela água, mas são atraídas por tudo que for seco e morno, da mesma forma que é seu próprio meio. Preferem mobilidade física e, portanto o calor humano ali gerado.
Como terapia, sol e ar quente (sauna) agem bem; compressas mornas, aplicações de extração e estímulo (cataplasmas de mostarda); plantas medicinais em forma seca e não líquida (tabletes e cápsulas). A pessoa colérica prefere alimentos altamente temperados e secos e concentrados (carnes grelhadas em lugar de guisado, pães no lugar de doces etc.). Uma vez que os músculos são predominantes nestes indivíduos, massagens nestas áreas lhes caem bem.

Tudo que for ligado ao ar em especial segue os indivíduos sangüíneos. O que quer que lhes proporcione ar, lhes faz bem: caminhadas curtas ou longas ao ar livre, passeios de bicicleta etc. Um tratamento no ar puro do campo, em áreas de bosques ou litoral, especialmente onde há vento, age muito melhor do que banhos de sol ou terapias de águas.
Exercícios respiratórios lhes são agradáveis. Plantas medicinais são mais bem recebidas em forma de inalação ou banhos de vapor. A pessoa sangüínea pode se manter com muito pouco alimento desde que tenha bastante ar para se "nutrir", ou então tenderá a compensar através da comida em excesso.

Indivíduos melancólicos têm afinidade com o elemento terra e reagem bem aos banhos secos, terras vulcânicas e tratamentos com cataplasmas de terra. Sua alimentação deve ser rica em sais minerais. Plantas medicinais em pó, em forma de tabletes ou cápsulas, é o tipo de tratamento mais recomendado de plantas e ervas.
Uma vez que o sistema nervoso predomina, massagens nas zonas de reflexo são especialmente recomendadas, bem como quer que método de relaxamento. Pessoas melancólicas necessitam de bastante sono. Atividade física e repetitiva – tipo levantamento de peso – não lhes cai bem, mas gostam de quer que esporte com bastante movimento e variedade como tênis, esportes de equipe, entre outros.

Esta apresentação diagramada tem naturalmente que ser adaptada em sua aplicação prática. Uma terapia de água não cai bem apenas para indivíduos fleumáticos. Pode ser usada para outros temperamentos.

E enquanto a submersão total na água – banhos de mar – é muito benéfica para o fleumático, o sangüíneo responderá melhor a uma ducha, o melancólico precisará de uma aplicação local menos úmida – compressa – e o colérico valorizará muito mais uma sauna seca.

A conexão entre os temperamentos, condição física, elementos e estilo de vida explicam porque nem todo tratamento tem o mesmo efeito sobre todos os pacientes. Plantas medicinais mornas e secas como Rosemary e Tomilho, por exemplo, têm maior efeito no temperamento morno e seco da pessoa colérica, menos do que no temperamento morno e úmido da pessoa sangüínea e pouco ou nenhum efeito no temperamento frio da pessoa fleumática ou melancólica.

Ou ainda: determinada por sua afinidade com o elemento água, uma estadia no litoral atua excepcionalmente bem com a pessoa fleumática, mas é menos benéfica para a melancólica que pode ficar super excitada pelo iodo.

Ao contrário, a redução de oxigênio nas altas montanhas é benéfica para a pessoa colérica e melancólica, instabiliza a fleumática. Infelizmente, o conhecimento sobre essas diferentes conexões tem sido amplamente negligenciado e está desaparecendo.

A correspondência entre temperamento e elemento poderia ser de tremendo auxílio, então não apenas para as terapias, mas também para nos conhecermos melhor e alcançarmos mais qualidade de vida.

Autor: Christopher Vasey --

Christopher Vasey
De nacionalidade suíça e naturopata de profissão, Christopher Vasey tem-se vindo a destacar pelos seus estudos e investigações no campo da alimentação, tendo já publicado várias obras. Entre elas, poderão destacar-se o Manual de Desintoxicação, Equilíbrio Ácido-básico, A Água: Fonte Vital de Saúde.

3 comentários:

Deth disse...

eu achei muito intereçante este texto,não vi nada igual anteriormente,gostei da leitura,e do novo conhecimento...

Casadavi disse...

nossa vc foi o que mais se aproximou destas coisas...muito bom !!!!Sou melancolica com certeza.Mas vivo bem com isso.

Daniel Madivadua disse...

muito bom... ta muito bom mesmo,
parabens e continue assim